Stress de Início de Ano

Habitualmente após épocas de maior descanso como as férias ou o Natal, surgem fases de maior stress.

Depois de abrandarmos, é comum e natural acelerarmos para cumprir objetivos e tarefas, quer profissionalmente, quer ao nível pessoal.

Se por um lado o stress ajuda, através do chamado bom-stress, por outro lado acabamos por acumular níveis de tensão e desconforto que sem notarmos podem ser tóxicos.

Deste modo, hoje vamos apresentar 3 dicas sobre:

Como avaliar o stress antes deste chegar a um nível tóxico?

1. O bom-stress

A primeira dica passa por avaliar a forma como usamos o bom-stress.

O designado bom-stress basicamente é o processo biológico de resposta hormonal e físico, em reação a um estímulo interno ou externo.

Um certo nível de adrenalina permite-nos ativar comportamentos e aumentar velocidade ou concentração.

Tente perceber como é que funciona a este nível? Quais são os seus motivadores mais comuns?

2. O stress tóxico

No outro extremo temos o stress que já atinge sintomas físicos e somáticos como alterações de sono, apetite, humor, atenção, concentração e até raciocínio ou memória.

Associado a este nível vermelho existem depois uma panóplia de patologias, quer psicológicas (ansiedade, depressão, fobia social, obsessão-compulsão, paranoia, alienação, etc) ou físicas, que requerem o adequado tratamento e acompanhamento especializado.

Aqui se começa a ter algum destes sintomas ou outro e que desconfia que pode não ser bom sinal, procure ajuda com o seu psicólogo, médico ou outro profissional de saúde.

3. Os sintomas silenciosos

Os sintomas silenciosos são na verdade os mais preocupantes, porque não ativam resposta de procura de ajuda, e podem-se tornar crónicos e bem implantados.

Para avaliar os sintomas silenciosos do stress sugerimos 3 perguntas:

– Como é que estão as suas costas ou ombros?

A tensão acumulada e a somatização do stress manifesta-se tipicamente nas costas, nos ombros e no pescoço, a nível muscular e mais profundo.

Não só as dores são um sinal importante. As dores não são silenciosas e quando surgem obrigam-nos a cuidarmos de nós.

Mas o desconforto ou a não consciência física são sintomas silenciosos a quebrar.

– Tem-se sentido triste ou zangado, sem perceber porquê?

As emoções negativas como a tristeza ou a zanga têm pouco espaço na nossa sociedade e por isso geralmente damos-lhe pouca atenção.

Resultado, por vezes vêm e vão sem que as tratemos, e por isso vão se acumulando.

Aqui a ideia é limpar estas sensações, pelo menos. O ideal é depois usá-las positivamente ou de forma construtiva ou de insight, mas isso já precisaria de ajuda do seu psicólogo ou psicoterapeuta.

– Por fim, a pergunta: tem sorrido?

Neste ponto o objetivo é avaliar a felicidade e as fontes de bem-estar. Este ponto é muitas vezes desvalorizado ou vendido de forma muito comercial e superficial.

Fica a dica apenas de forma genérica, para um dia destes ser um tema a aprofundarmos.

E já sabe, qualquer dúvida ou questão basta dizer J  

Abraço, Psicologo.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *